intestino preso

Intestino preso em adultos: causas e tratamentos

A frequência com que uma pessoa evacua por dia varia conforme a sua alimentação e a saúde do organismo. Não existe um padrão que indique a periodicidade adequada, mas permanecer muito tempo sem evacuar pode indicar um distúrbio chamado intestino preso.

Para uma resolução rápida desse problema, é necessário que o paciente esteja atento aos sintomas. Continue a leitura deste post e saiba mais sobre as causas e os tratamentos dessa condição.

O que é intestino preso?

A prisão de ventre, como é popularmente conhecida, é um distúrbio comum e que se caracteriza pela dificuldade que uma pessoa tem em evacuar. Como já mencionado, não existe um padrão saudável para a frequência de evacuações, sendo uma questão associada a outros fatores.

Para que o quadro de intestino preso seja confirmado, a quantidade de evacuações tem que ser igual ou inferior a duas vezes por semana ou o paciente apresentar uma grande dificuldade para evacuar, nem sempre com sucesso.

Outra característica da prisão de ventre são os formatos das fezes, que são mais duras do que o normal. Além disso, o paciente costuma relatar que, mesmo após ir ao banheiro, continua com a sensação de que o reto ainda está cheio.

A constipação intestinal é um problema muito frequente em mulheres, principalmente, durante a gravidez, em crianças e em idosos.

Quais são as causas do intestino preso em adultos?

A principal causa da constipação é a alimentação desequilibrada, que ocorre com frequência em pessoas que estão sempre realizando dietas sem acompanhamento nutricional. A falta de fibra na alimentação provoca a prisão de ventre, pois é ela que facilita o trânsito das fezes.

A desidratação também pode causar o problema. Isso porque o corpo conserva a água no sangue por meio da absorção do líquido das fezes. Assim, quando a pessoa está menos hidratada, a evacuação é mais difícil.

O uso de alguns medicamentos também pode desacelerar o intestino. Os opioides, sais de ferro, anti-histamínicos, hidróxido de alumínio, anti-hipertensivos, sedativos e antidepressivos tricíclicos são exemplos de fármacos que podem causar a constipação.

Outra possível origem para a prisão de ventre é o uso constante de laxantes e enemas. O corpo se acostuma à presença dessas substâncias e perde a capacidade de evacuar sem o auxílio delas.

Ainda, em casos menos frequentes, o intestino preso pode ser causado por uma obstrução intestinal, hipotireoidismo, hipercalcemia, doença de Parkinson, neuropatias ou por lesões na medula espinhal.

Qual é o tratamento?

O tratamento para a constipação começa por uma mudança na alimentação do paciente. A dieta passa a ter fibras suficientes para que o bolo fecal seja produzido corretamente. Para isso, legumes, frutas e farelo de trigo entram na rotina alimentar.

Entretanto, para que surta efeito, a ingestão de fibra deve ser acompanhada do consumo de bastante líquido. Outra possibilidade de tratamento é a prescrição de laxantes e enemas. Contudo, essa alternativa não é uma unanimidade entre os médicos.

Ainda, existem laxantes adequados para evitar a constipação e outros indicados para tratá-la. Os enemas esvaziam as fezes do reto. Apenas em casos raros, a intervenção cirúrgica é uma opção para retirada das fezes endurecidas.

Agora você já conhece as causas e os tratamentos disponíveis para o intestino preso. Para evitar esse distúrbio, mantenha uma alimentação balanceada.

Quer saber mais? Clique no banner.

Powered by Rock Convert

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp